Sai o que semeia a semear

Separadores primários

A Montis - Associação de Conservação da Natureza quer os gaios a semear carvalhais nas suas propriedades.

Com esta campanha a MONTIS pretende desenvolver um programa de sementeira de bolotas tirando partido do comportamento dos gaios.

Os gaios recolhem e armazenam bolotas num raio de cinco quilómetros ou mais. Pensa-se que escolhem as maiores e de melhor qualidade, e um único gaio pode esconder 3 a 5 mil bolotas num só inverno. "Esquecem-se" de muitas delas e, quando germinam, utilizam os cotilédones para alimentar as crias na primavera. Parecem escolher os melhores sítios para as esconder, muitas vezes inacessíveis aos humanos.

Consideramos especialmente interessante a utilização de processos naturais para reforçar a expansão dos carvalhais, tirando partido do comportamento de uma espécie de ave para fazer sementeiras de forma muito barata e fácil de replicar por qualquer pessoa.

Trata-se de uma técnica simples que consiste em colocar tabuleiros cheios de bolotas em locais em que se pretende aumentar o número de carvalhos. Os tabuleiros são desenhados para serem inacessíveis a roedores e outros animais. O uso dos tabuleiros pelos gaios varia, razão pela qual o projecto inclui a compra de algumas câmaras de armadilhagem fotográfica para se obter informação sobre as condições que pareçam mais favoráveis. Com esta campanha pretende-se preparar o alargamento da sua utilização em todas as propriedades da Montis no outono de 2018.

Para além dos efeitos concretos de conservação, a Montis pretende usar esta técnica para envolver pessoas comuns na recolha de bolota e colocação nos tabuleiros, aumentando o contacto e conhecimento sobre as interacções no mundo natural através de uma tarefa pouco exigente, demonstrando a utilidade dos diferentes elementos presentes nos ecossistemas e a vantagem em ter sistemas naturalizados tão diversos e complexos quanto possível.
Todo o dinheiro angariado que exceda o montante estabelecido para a campanha será aplicado na recuperação pós-fogo do Parque Natural Vouga-Caramulo.

Ações de conservação:

  • Criação e colocação dos tabuleiros
  • Recolha e colocação de bolotas nos tabuleiros

Atividades de gestão direta e de capacitação:

  • 4 Fins de semana voluntários: 20 pessoas, 2 dias, 1 noite

Instalação de tabuleiro

Instalação de tabuleiro

Sobre o promotor

A MONTIS - Associação para a Gestão e Conservação da Natureza é uma Organização Não Governamental, sem fins lucrativos e de âmbito nacional. Está sedeada em Vouzela, distrito de Viseu, tem como objectivo central gerir territórios, com relevância para a conservação dos valores naturais e tem concentrado a sua atividade especialmente nas serras envolventes do rio Vouga mas também noutros locais do território nacional. Tem neste momento uma massa associativa de cerca de 350 sócios, que pagam uma quota anual de 20€.

Os objetivos centrais desta associação são garantir o desenvolvimento dos processos naturais, promover a conservação de espécies autóctones, gerir de forma inteligente os fogos florestais e outros riscos naturais, aumentando o valor de mercado da biodiversidade.

O envolvimento de pessoas comuns na gestão da biodiversidade, associado ao esforço de transparência e comunicação, incluindo a verificação direta de resultados, no terreno, através da visitação são mecanismos centrais de actuação da Montis que podem ser muito reforçados com o desenvolvimento de projectos deste tipo.

A caminho da montagem

A caminho da montagem

Orçamento e prazos

Orçamento

10 plataformas: 500€

  • Inclui a manutenção e substituição de plataformas danificadas.

4 câmaras de armadilhagem: 800€

  • Inclui custos de aquisição, envio e ainda consumíveis associados às mesmas.

Gestão do projeto: 660€
- Inclui:

  • Visitas aos terrenos sob gestão da Montis (2x por mês, durante 6 meses), para manutenção da plataforma e renovação das bolotas
  • Ações de recolha e armazenamento de bolotas;
  • Manutenção das câmaras de armadilhagem;
  • Fim-de-semana de voluntariado para a recolha e aplicação de bolotas (incluindo pessoas portadoras de deficiências sem grandes limitações de mobilidade).

Prazos

19 dias - 27 de Novembro a 15 de Dezembro de 2017

Imagens

Facebook