MÃO SÉNIOR - COMBATE AO ISOLAMENTO SOCIAL NA TERCEIRA IDADE

Separadores primários

MÃO SÉNIOR é um projecto que visa o apoio aos idosos nas suas actividades de vida diária (actividades domésticas, companhia pessoal, acompanhamento nocturno,etc) apoiando simultaneamente os cuidadores informais/familiares desses mesmos idosos.

Ao longo dos últimos anos, é notório um aumento dos problemas sociais derivado, principalmente, do aumento dos problemas económicos do país em que vivemos. Estes problemas têm gerado por si só várias mudanças, principalmente ao nível das estruturas familiares. Um dos problemas que tem tido mais crescimento e que tem sido mais notório com o passar dos dias é o envelhecimento demográfico.

Associado às mudanças das dinâmicas familiares e ao envelhecimento, nasce o problema do isolamento social/geográfico. Apesar dos inúmeros recursos disponíveis para colmatar este problema, é notório que ainda existem muitos idosos que se recusam a deixar as suas casas, deixar as rotinas diárias a que estão habituados a realizar todos os dias. 

Como alternativa aos serviços comuns que já existem, pensei num projeto com vista a apoiar este tipo de idosos que podemos considerar serem mais resistentes a qualquer tipo de intervenção mas, que isso não deverá ser impedimento para que possam ser apoiados de igual forma nas mais diversas atividades diárias. O objetivo principal assenta num apoio prestado sem que a pessoa tenha que “sair de sua casa” e que não deixe por completo "as suas rotinas diárias”.

O projeto consiste em apoiar vários idosos de forma regular ou esporádica durante 24h/ 7 dias por semana, conforme a verdadeira necessidade de cada idoso ou família. Isto é, pretendemos prestar uma espécie de serviço domiciliário mas sem que seja obrigatória a frequência diária do mesmo. O apoio pode assentar em:

  • acompanhamento do idoso ao centro saúde, farmácia, passear, ver televisão, visitar amigos/familiares, ir as compras, entre as mais diversas atividades;
  • prestar apoio diário/ esporádico nas tarefas domésticas (cozinhar, arrumar a casa, tratamento de roupas, etc.);
  • prestar serviço de cuidados pessoais a idosos mais dependentes de forma a, apoiar os cuidadores informais e a permitir que os mesmos possam ter uma vida mais liberta da responsabilidade que é ter de cuidar de alguém idoso 24 sobre 24 horas diárias. Neste apoio além dos cuidados pessoais é possível um serviço de companhia, quer noturna quer diurna para os momentos em que a família tem outros compromissos.

É fundamental uma atuação humanizada, personalizada e que tenha em conta as necessidades reais e específicas de cada situação, tendo sempre como ideal que os idosos são o centro de toda a atuação e que o meio familiar e social de que cada um provém é parte complementar das suas vivências, devendo continuar a ser particularmente considerado no apoio às pessoas idosas, de acordo com os seus desejos e interesses.

Sobre o promotor

Priscila Silva, 26 anos, licenciada em Serviço Social e pós graduada em Geriatria e Gerontologia Social.

O meu primeiro emprego/ estágio profissional foi numa IPSS destinada à terceira idade e atualmente sou Técnica de Atendimento e Acompanhamento Social.

A minha motivação neste projeto centra-se no combate ao isolamento social e geográfico dos idosos, apoiar para a melhoria da qualidade de vida e sobretudo apoiar as familías para que as mesmas possam manter os hábitos diários.

Orçamento e prazos

Valor pedido na campanha 5.000€ - 45 dias 

Custo dos 5% da Comissão do PPL - 430.50€

O valor pedido está calculado para fazer frente a algumas despesas do projeto. Listamos abaixo, as despesas que teremos numa fase inicial. 

  • 2.500€ para pagamento das colaboradoras que efetuarão os acompanhamentos;
  • 1.000€ para gásoleo nas deslocações até aos domicilios dos idosos e nas deslocações com os idosos aos serviços necessários (hospitais, posto médico, supermercdos, farmácia, cabeleireiros, etc)
  • 600€ abertura da associação
  • 600€ contabilista
  • 700€ em publicidade, materias de animação e material de escritório.

O dinheiro pedido na campanha terá como objetivo minimizar os custos para os idosos e para as suas familias sendo que, muitas vezes não tem possibilidades para pagar estes serviços.

Imagens

Facebook