Fruta Feia | PPL

Fruta Feia

Empreendedorismo Lisboa, Portugal

Separadores primários

O projecto Fruta Feia tem como objectivo principal canalizar essa parte da produção fruto-hortícola até aquele consumidor que não julga a qualidade pela aparência...

Numa sociedade em que cada vez há mais pobreza e mesmo alguma fome, temos a situação irónica e triste de mais de 30% da fruta produzida em Portugal ser desperdiçada pois, apesar de ser saborosa e de qualidade, não tem o aspecto perfeito em termos de cor, formato e calibre que a grande distribuição procura e que os consumidores escolhem. 

O projecto Fruta Feia tem como objectivo principal canalizar essa parte da produção fruto-hortícola até aquele consumidor que não julga a qualidade pela aparência. Este projecto visa combater uma ineficiência de mercado, criando uma marca e um movimento que consigam alterar padrões de consumo e criar um mercado para a chamada “fruta feia”. Um mercado que gere valor e combata tanto o desperdício alimentar como o gasto desnecessário dos recursos utilizados na sua produção (água, terrenos cultiváveis e energia).

Para tal, constituímos uma Cooperativa de Consumo de âmbito nacional, que arrancou com o seu projecto-piloto no Bairro dos Anjos (Lisboa) e cujas delegações se irão replicando posteriormente pelo país.  Associadas à Cooperativa de Consumo Fruta Feia CRL, serão desenvolvidas várias visitas às explorações dos agricultores parceiros do projecto, bem como acções de sensibilização sobre a problemática do desperdício alimentar, que em Portugal ascende já a 1 milhão de toneladas por ano.

Foi com grande entusiasmo que a Fruta Feia foi galardoada como um dos três vencedores do concurso Ideias de Origem Portuguesa promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian, tanto pelo reconhecimento do projecto, como pela atribuição dum prémio no valor de 15 mil euros. Este valor permitiu o arranque da cooperativa no passado dia 18/Novembro com uma delegação no Bairro dos Anjos. Contudo, o nosso objectivo é replicar este modelo de consumo noutros bairros de Lisboa e noutras regiões do país, estendendo a Fruta Feia aos vários agricultores e consumidores interessados, o que se revela um desafio inalcançável com os limitados recursos de que dispomos. O grande objectivo desta campanha de crowdfunding é assim angariar parte do funcionamento necessário à expansão da Fruta Feia CRL, nomeadamente para o desenvolvimento de uma página web que sirva de ferramenta para a replicação a nível nacional e para a contratação de um trabalhador.

Ajudem-nos a combater o desperdício alimentar

Não julguem a qualidade pela aparência

Gente bonita come fruta feia!

Sobre o promotor

Motivada pela necessidade de inverter a actual tendência de normalização de frutas e legumes e combater o desperdício alimentar que daí advém, Isabel Soares decidiu montar uma equipa capaz de desenvolver o que hoje é o projecto Fruta Feia.

Actualmente somos uma equipa multidisciplinar composta no seu núcleo central mais participativo por três engenheiros – Isabel Soares, Inês Ribeiro e Francisco Gonçalves – e para as matérias externas à Engenharia por mais três pessoas especializadas e comprometidas com essas tarefas – Sara Santos (designer), Ana Carvalho (jurista) e João Veríssimo (informático):

Isabel Soares, 31 anos. Engenheira do Ambiente e mestre em Energias Renováveis, decidiu deixar Barcelona onde vivia há 7 anos para se dedicar à implementação deste projecto em Portugal. Tem experiência profissional em gestão de projectos nas áreas do Ambiente e da Energia e experiência pessoal como sócia de uma cooperativa de consumo auto-gerida de frutas e legumes. É a responsável pela gestão integral da cooperativa e a pessoa que se dedica a tempo inteiro à mesma, onde desempenha o cargo de Presidente da Direcção.

Francisco Gonçalves, 33 anos. Engenheiro do Ambiente e pós-graduado em Engenharia  Sanitária, colabora actualmente na Agência Municipal de Energia-Ambiente, Lisboa E-Nova, na  coordenação técnica e financeira de projectos relacionados com gestão urbana (eficiência energética e ciclo urbano da água). Está encarregado de estabelecer parcerias com outros projectos/iniciativas da área de Lisboa e de apresentar o projecto a possíveis financiamentos futuros (nacionais e comunitários).

Inês Ribeiro, 31 anos. Doutorada em Engenheira Mecânica, é investigadora no IST na área de optimização de custos económicos e ambientais de produtos e processos industriais. Está responsável pela optimização e desenho do sistema de transporte dos agricultores até à Cooperativa.

Sara Santos, 30 anos. Designer Gráfica, trabalha em projectos editoriais e comunicação gráfica na área da cultura. Foi quem concebeu a identidade corporativa da Fruta Feia e é a responsável pela produção de todo o material gráfico de comunicação e merchandising.

Ana Carvalho, 33 anos. Licenciada em Direito, com experiência profissional desenvolvida na área da Gestão de Contratos. É a nossa assistente jurídica e a pessoa responsável pela constituição legal da Cooperativa de Consumo e, quando necessário, pela preparação e gestão de contratos de fornecimento e prestação de seviços a celebrar, designadamente, com os agricultores.

João Veríssimo, 31 anos. Engenheiro Electrotécnico e de Computadores, a trabalhar há vários anos como programador independente de páginas web. Será o responsável pelo desenvolvimento do website.

A nossa equipa encaixa perfeitamente neste projecto porque temos as valências técnicas necessárias para construir um modelo que garanta o menor impacto ambiental possível, a motivação duma pessoa que voltou para Portugal para se dedicar à sua implementação e, mais importante que tudo, porque acreditamos que é necessário e que é possível mudar o paradigma do consumo actual. 

Imagens

Facebook